terça-feira, 14 de novembro de 2017

As aparências enganam!



Durante muitos anos, muitas congregações fecharam suas portas para pessoas ligadas a movimentos alternativos, de contracultura e das chamadas tribos urbanas (skatistas, regueiros, punks, rappers, etc.). Impiedosamente a Igreja seguia os passos da sociedade vigente e ditava comportamentos e modas, principalmente no que diz respeito ao vestuário, usos e costumes. Para a salvação do indivíduo, a graça do Evangelho e o sacrifício vicário do Senhor Jesus já não eram mais suficientes. Era necessário algo mais: obediência a leis severas e a abdicação de qualquer cultura que não fosse a vigente. Dreadlocks, skates, rock n' roll dentro da igreja? Não. Santidade era mesmo trajar terno e gravata. 

Anos depois, estamos vivenciando os piores episódios políticos de nossa história. São bilhões e bilhões de reais surrupiados impiedosamente por uma quadrilha que se apossou de todo o território nacional. A cada dia aparecem notícias de corrupção no noticiário. É uma sangria que parece não ter fim. Este dinheiro, que deveria ser investido maciçamente em prioridades públicas como saúde, educação e segurança - as quais se encontram sucateadas há um bom tempo -, foram desviados dos cofres públicos, e por causa disto o nosso povo sofre ainda mais, perdendo direitos que lhes eram garantidos.

Curiosamente, estes mesmos bandidos que cometeram grave lesão ao erário nacional se vestem impecavelmente - e até ganham para isto. É o tal do Auxílio-Paletó. Pela lógica, nossos políticos deveriam ser os mais honestos e santos. Mas não. Parece que, neste caso, a áurea que resplandece em seus trajes é diretamente proporcional à sua vigarice. Toda a práxis destes homens contraria o frágil castelo de areia construído por pessoas que amam julgar pela aparência.

Infelizmente muitas pessoas perderam a oportunidade de ouvir o Evangelho, de experimentar a graça do Senhor e a salvação que é obtida pela - e não pelas obras - simplesmente porque foram rejeitadas por uma igreja por causa de um aspecto exterior. Suponho que pessoas se revoltaram contra Deus por conta disto - ou até mesmo que morreram sem serem salvas. Temos que admitir que muito do preconceito que a sociedade nutre contra nós, cristãos, foi gerado por conta de atitudes bizarras que muitos de nossos irmãos de fé cometeram - e ainda cometem -, de maneira injusta, contra outras pessoas. Se somos conhecidos como intolerantes e preconceituosos, temos que ser honestos e admitir que, pelo menos em algum período da História, a Igreja agiu com intolerância e preconceito com pessoas de diversos povos e culturas.

O que os fariseus e hipócritas pregarão agora? Está mais do que provado que a santificação somente é possível mediante um relacionamento com o Senhor, e não conforme a adoção de cultura a ou b. O que farão agora? Tatuagens, brincos, piercings e outros tipos de adereços eram coisa de drogado e marginal. Proibirão o terno e gravata sob o argumento de que é coisa de político ladrão?




Nenhum comentário:

Postar um comentário